Domingo, 22 de Outubro de 2017 -
DISCUSSÃO

Vereadores ensaiam coro contra possível aumento de 29% na conta de água

Agência reguladora promove audiência pública em Itabira nesta terça-feira, 12 de setembro, para discutir o assunto
12/09/2017 08h43
RODRIGO ANDRADE/DEFATO
Paulo Soares, vetão, Jovelino, Reginaldo Lacerda, Reginaldo e Agnaldo Enfermeiro criticaram possibilidade de aumento de 29% na conta de água

A Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae) promove nesta terça-feira, 12 de setembro, no auditório da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), uma audiência pública para discutir a possibilidade de aumento na conta de água paga pelo itabirano. O reajuste pode chegar a 29,1%, segundo o órgão. Apesar de o aumento ainda estar no campo da probabilidade, os vereadores já ensaiam fazer coro contra a medida.

O assunto já repercute na Câmara desde quando a Arsae divulgou a possibilidade de aumento, em 30 de agosto. No dia seguinte ao anúncio, durante reunião de comissões, o oposicionista Weverton Vetão (PSB) já fazia críticas ao índice máximo que o reajuste poderá atingir. Naquele dia, a manifestação também ganhou apoio de Reginaldo Santos (PTB) e comentários do vice-presidente da Casa, André Viana (Podemos), que disse preferir aguardar a audiência pública para tecer comentários.

Nessa segunda-feira, 11, durante mais uma reunião de comissões, o assunto voltou a ser conversado pelos vereadores. Vetão pediu aos colegas que a reunião da Câmara nesta terça-feira não se estenda muito, para que eles tenham condições de participar da audiência pública no teatro da FCCDA. Reinaldo Lacerda (PHS) foi mais longe e solicitou que todos os vereadores se manifestem contrários ao aumento de 29,1%. “É um absurdo se pensar em reajuste deste tamanho. O Saae tem deixado a desejar no município”, comentou.

Também presentes à reunião de comissões, Reginaldo Santos, Jovelino de Oliveira (PTC), Paulo Soares (PRB) e Agnaldo Enfermeiro (PRTB) também falaram contra o aumento estudado pela Arsae. Outro que estava na sala, o líder do governo na Câmara, Allaim Gomes (PDT), disse que o reajuste é concedido pela agência reguladora e não pelo município.

Argumentos

Segundo a Arsae, o reajuste, se concedido, possibilitará que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) promova investimentos em saneamento rural e em obras de segurança hídrica, umas das principais necessidades apontadas pelo Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) de Itabira. 

Também de acordo com a Arsae, a revisão tarifária permitirá que o Saae, pela primeira vez, tenha condições de prestar serviços de saneamento rural e realizar interligação das redes coletoras de esgoto do município. Por fim, outra reivindicação importante que está sendo atendida, frisa a agência, é a inclusão de recursos para a recomposição do pavimento das ruas danificadas pelo Saae. A previsão é que sejam aplicados R$ 8,526 milhões em investimentos nos dois anos de vigência da revisão tarifária.

Notícias relacionadas
Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
12/09/2017 - 13h39
José Maria Amorim
Itabira
A gente entende a necessidade de se expandir os serviços às áreas rurais, mas, num momento de crise, em que há milhares de desempregados, em que os servidores estão há mais de 2 anos sem ter reajuste, aplicar um percentual desses é absurdo, principalmente se a gente analisar a atuação até aqui do governo municipal, que continua enchendo a prefeitura com cargos. Já basta o golpista aumentar gás e gasolina quase todo dia.
7 1
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Política
Mais
Emprego