Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017 -
SÃO GONÇALO DO RIO ABAIXO

Vereador trancado duas vezes na Câmara se posiciona: 'Me senti humilhado'

12/08/2017 09h22
ARQUIVO PESSOAL
Vereador Felipe Silveira atacou presidência da Câmara de São Gonçalo do Rio Abaixo

O vereador de São Gonçalo do Rio Abaixo, Felipe Silveira (SD), protagonizou ocorrências inusitadas na Câmara local. Por duas vezes, em menos de cinco dias, o parlamentar ficou preso dentro da Casa ao fim do expediente. É que ele quis permanecer no gabinete trabalhando quando todos deixaram a sede do Legislativo. As portas foram trancadas e Felipe teve que acionar a Polícia Militar nas duas vezes para registrar boletins de ocorrência. “Me senti humilhado e em cárcere privado”, afirma o vereador.

Segundo Felipe, tudo começou quando decidiu enviar um ofício à presidente da Câmara, Luciana Bicalho (PTB), informando que a partir de então seu gabinete funcionaria até às 18h. Ele conta que recebeu uma resposta negativa, com o argumento de que as regras da Casa definia o horário de trabalho até às 17h. O parlamentar, então, argumentou que não dependeria dos funcionários do Legislativo, mas somente os de seu gabinete.

Silveira diz que chegou a ficar duas vezes até mais tarde na Câmara, sendo que a direção deixou a porta da cozinha e o portão da garagem abertos para que o vereador saísse. Porém, segundo relato do parlamentar, os transtornos começaram no dia 4 de agosto, quando uma secretária da presidente foi até o gabinete solicitar sua saída, porque a Casa seria trancada. Felipe não saiu.

“Minutos depois a própria presidente veio em meu gabinete e exigiu que eu saísse. Voltei a dizer que não sairia, que em meu gabinete quem manda sou eu e que eu não sou funcionário dela. Assim fiquei. Quando resolvi ir embora, percebi que estava trancado dentro da Câmara. Chamei as pessoas que passavam na rua e acionei a polícia. Me senti humilhado e em cárcere privado, pois estava sendo impedido de fazer o meu trabalho dentro do meu próprio gabinete”, relata Felipe Silveira. 

Na segunda-feira, 7 de agosto, o episódio voltou a acontecer. Dessa vez, de acordo com Felipe, quem o trancou foi a procuradora jurídica e a secretária da presidente. “Voltei a chamar a população para acionar a polícia. No momento em que as pessoas foram chamar (a PM), o vigia chegou, o que facilitou que eu saísse”, conta.

Em posicionamento ao site O Popular, de João Monlevade, a presidente da Câmara, por meio de sua Assessoria de Comunicação, afirmou não ter intenção de prejudicar o trabalho do vereador e que Felipe Silveira está ciente das regras do Legislativo. Opositor, o parlamentar rebate e diz que não há diálogo com a presidência da Casa. “Se eu sou vereador por tempo integral, por que eu não poderia ficar em meu gabinete até o horário que achar que devo? Ela está tentando me impedir de trabalhar, mas não vai conseguir”, finaliza. 

Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
13/08/2017 - 13h13
Sérgio Vieira
Itabira- Mg
Levante a Cabeça Rapaz! Ficar preso na Câmara por causa de Trabalho é motivo de Orgulho.Humilhação é ficar preso na Cadeia por causa de Roubo de Dinheiro Público,igual já tem muitos no Brasil.
11 2
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Política
Mais
Emprego