Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017 -
TRÂNSITO

Cobrança do rotativo volta em maio em Itabira

05/04/2017 15h21
ACOM PMI
Município possui mais de 500 vagas de estacionamento rotativo

A possibilidade de os motoristas encontrarem vagas para estacionar será maior a partir do dia 10 de maio, quando a fiscalização da Prefeitura de Itabira voltará com o estacionamento rotativo.

Devido a falta de talões, o estacionamento rotativo na cidade está suspenso desde o começo deste ano. “O contrato com a empresa que fazia a comercialização dos talões de estacionamento terminou no final de dezembro”, explicou Rínio Simões Veloso, secretário adjunto de Desenvolvimento Urbano. A contratação de outra empresa ou a mesma para realizar o serviço, segundo o secretário, só pode acontecer por meio de licitação. “O processo já está em andamento desde fevereiro de 2016. Por causa de denúncias de empresas e da falta de documentos, estava agarrado. Mas, isso já foi solucionado e a licitação está em pleno andamento”, afirmou Rínio Veloso.

Enquanto aguarda a conclusão do processo licitatório, a superintendência de Transportes e Trânsito (Transita) da Prefeitura se organizou para produzir os talões e distribuir aos pontos de venda – cerca de 130 locais, segundo informação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU). “A Transita mandou fazer os talões em gráfica e ela mesmo vai entregar nos locais de comercialização. Porém, é transitório até que a licitação fique pronta”, ressaltou o secretário adjunto da SMDU.

Desde o início do ano que motoristas registram, diariamente, a insatisfação com relação a falta do estacionamento rotativo. “Tivemos várias reclamações e denúncias na Secretaria de Desenvolvimento Urbano porque não se encontra mais vagas para estacionar, principalmente na zona bancária. Percebemos casos de pessoas que deixam os carros o dia inteiro nos mesmos locais. Então, o estacionamento deixou de ser rotativo”, analisou Rínio Veloso.

A falta de rotatividade, de acordo com Jairo da Silva Ferreira, superintendente da Transita,  causa grande impacto na acessibilidade dos usuários. “Sem o sistema rotativo, a probabilidade de achar vaga é quase nula. Isso dificulta muito a acessibilidade dos usuários, já que os motoristas ficam sem condições de estacionar”. Ainda segundo o superintendente, o estacionamento rotativo é uma ferramenta para mitigar as questões de acessibilidade. “Ele democratiza o uso do espaço público para estacionamento, garantindo o acesso de todos às mesmas vagas”, definiu.

Rotativo

A verba gerada pelo estacionamento rotativo é vinculada aos serviços de trânsito. “A Prefeitura só pode usar esse dinheiro para fiscalização, campanhas educativas e colocação ou melhoria das sinalizações vertical (semáforos e placas) e horizontal (faixas e desenhos pintados nas pistas), explicou Jairo Ferreira.

O superintendente informou ainda, que a cidade conta com aproximadamente 550 vagas de estacionamento rotativo e o valor do serviço continua R$ 2,50, sendo R$ 25 o talão com dez folhas. De acordo com o artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a infração para o motorista que não usar o rotativo é grave, causando a perda de cinco pontos na carteira de habilitação e uma multa no valor de R$ 195,23. Além disso, “os motoristas devem ficar atentos às informações contidas nas placas de estacionamento sobre os dias e horários em que o uso do rotativo é obrigatório”, concluiu Jairo Ferreira.

ACOM PMI
Se você não tem Facebook, utlize o formulário abaixo para comentar.
05/04/2017 - 17h52
Flávia
Itabra
Tomara que fiquem de olho na vaga de PCD porque está sendo utilizada sem um pingo de consciência por quem não tem nenhuma deficiência.
7 1
Novo comentário
Sou cadastrado
Não sou cadastrado
Comentário
Leia mais em: Cidade
Mais
Emprego